Diversos

Cientistas capturam bactérias que se alimentam de poluição e respiram eletricidade

Cientistas capturam bactérias que se alimentam de poluição e respiram eletricidade

No Parque Nacional de Yellowstone, fica o Heart Lake Geyser Basin. Esta área abriga piscinas de água quente, que variam de cerca de 110 para quase 200graus Fahrenheit, que carregam algumas bactérias muito impressionantes que comem poluição e respiram eletricidade.

VEJA TAMBÉM: BACTÉRIAS COLORIDAS COMBINA ESGOTO E LUZ PARA FAZER ENERGIA LIMPA

Direto da fonte

Agora, Abdelrhman Mohamed e seus colegas da Washington State University (WSU) capturaram esses microorganismos diretamente de sua fonte para estudá-los.

"Esta foi a primeira vez que essas bactérias foram coletadas in situ em um ambiente extremo como uma fonte termal alcalina", disse Mohamed.

O interesse de Mohamed pela bactéria ia além das atividades acadêmicas. Os micróbios podem ser a chave para resolver os problemas de poluição e demanda de energia que nos afligem hoje.

Comer poluição

Por quê? Porque esses microorganismos específicos podem literalmente comer poluição. Eles fazem isso transformando poluentes tóxicos em substâncias menos prejudiciais e gerando eletricidade no processo.

"À medida que essas bactérias passam seus elétrons para os metais ou outras superfícies sólidas, elas podem produzir um fluxo de eletricidade que pode ser usado para aplicações de baixa potência", disse Haluk Beyenal, Professor Distinto do Gene Paul Hohenschuh.

Coletar esses micróbios não foi uma tarefa fácil. Mohamed e seus colegas tiveram que deixar alguns eletrodos na beira da água extremamente quente, esperando que a bactéria saísse de seu esconderijo.

Para conseguir isso, Mohamed inventou um potenciostato portátil barato e altamente resistente ao calor. Um potenciostato é um dispositivo eletrônico necessário para controlar uma célula de três eletrodos.

Os pesquisadores então deixaram os eletrodos na água por 32 dias. No final, o experimento mostrou-se interessante, tendo sucesso na captura das bactérias em seu ambiente natural e ótimo.

"As condições naturais encontradas em recursos geotérmicos, como fontes termais, são difíceis de replicar em ambientes de laboratório", disse Beyenal. "Então, desenvolvemos uma nova estratégia para enriquecer bactérias que gostam de calor em seu ambiente natural."

Esta não é a primeira vez que cientistas usam bactérias para gerar energia. Outros experimentos viram bactérias combinadas com esgoto para produzir eletricidade, enquanto outros resultaram em micróbios que podem criar anéis cheios de energia.

A chave para resolver nossas crises de energia e poluição poderia realmente estar nesses microorganismos? O tempo vai dizer.

A equipe da WSU, em colaboração com colegas da Montana State University, publicou sua pesquisa noJournal of Power Sources.


Assista o vídeo: Scientists discover plastic eating bacteria that could save the environment (Outubro 2021).